quinta-feira, setembro 17, 2009

sobre quando me apaixonei por Maiakóvski.

"(...)
Memória!
Convoca aos salões do cérebro
Um renque inumerável de amadas.
Verte o riso de pupila em pupila,
Veste a noite de núpcias passadas.
De corpo a corpo verta a alegria.
Esta noite ficará na História.
Hoje executarei meus versos
Na flauta de minhas próprias vértebras.
"

(tradução de Boris Schnaiderman e Haroldo de Campos)

4 comentários:

F.B. disse...

Respondi no meu blog
sobre um comentario seu...

bjobjo

F.B. disse...

você falou que não dava mt por mim, pelo meu jeito de ser ou de se vestir sei lá...
aparencias..
não lembra?
mas ai falou q superei o q vc achava e até me elogiou ;)

Victor "Athirson" disse...

E quando vc se apaixonou por Maiakóvski?
nhé

Caldereta das Idéias disse...

há três anos atrás quando viajamos juntos para Leningrado.